Notícias

Central de Notícias e Artigos

Já viu um cão que não late ?

17/05/2021 10:51:28

 

Já viu um cão que não late ?

Esse cão da África Central é de origem muito antiga. Seus ancestrais são representados em velhas pinturas rupestres de 5 mil anos de idade. Mas somente nos anos 1930 os primeiros Bansenjis foram introduzidos na Europa pelo britânicos. O nome desde cão rústico significa simplesmente “camponês”.

Existe a The Basenji University, uma universidade voltada para aqueles que têm interesse em se aprofundar no conhecimento sobre a raça. Os cursos são online e você pode fazer sua graduação no conforto de sua casa;

– Um Basenji bom de caça era considerado mais valioso do que uma esposa por algumas tribos na África, não só por sua habilidade de caça, mas também sua desenvoltura e engenhosidade.

 

Os primeiros Basenjis eram vermelho e branco, tricolor (preto e castanho com branco) e preto e branco. Expedições ao Zaire em 1987 e 1988 introduziu 14 novas linhagens desse cão, o que resultou em um bonito listrado de tigre.

Paciência e senso de humor são essenciais para viver com um Basenji. Ele vai mastigar ou comer o que for deixado ao seu alcance, e ele é capaz de arquitetar um plano para conseguir o que quer, isso inclui subir no balcão da cozinha ou invadir a despensa onde os biscoitos de cão estão guardado. Ele pode ser indiferente com estranhos, e ele não merece confiança quando está perto de gatos ou outros animais de pequeno porte, a menos que ele tenha crescido com eles e você esteja certo de que ele os reconhece como membros da família. No entanto, esse reconhecimento não se aplica a gatos ou pequenos animais que ele vê ao ar livre.

Existem livros sobre a história da África que mostram fotos de nativos com seus cães Basenji nos anos de 1880. Em 1895 foi a primeira participação de um Basenji em competições de exibição de cães. Basenjis foram descobertos pelos ocidentais na região de Congo na África Ocidental no século 19. Lá, os cães eram usados para para transporte de mercadorias, e para avisar da aproximação de animais perigosos quando estavam no meio da mata.

O Basenji nunca late, ele emite um grunhido. Seu crânio enrugado dá a ele uma expressão simpática. Como um gato, esse cão dedica bastante tempo à toalete, ou seja, é um animal muito limpo.

 

Ele é apreciado como cão de companhia, tanto na sua região de origem, como na Europa e nos Estados Unidos, onde também foi introduzido. Fortemente ligado ao dono, mostra-se muito protetor em relação a ele. É brincalhão e afetivo. É um bom guardião e excelente caçador de pequena caça.

O Basenji desconfia muito de estranhos. Os machos podem se mostrar agressivos com seus congêneres. É melhor familiarizá-lo muito cedo com gatos ou outros animais domésticos.

 

O Basenji é um cão de caça. Isso significa que ele é inteligente e independente, mas também carinhoso e alerta. Ele é um sighthound, o que significa que o movimento chama sua atenção, e ele vai perseguir o que ele vê que se move – gatos, esquilos, coelhos. Ele não é o tipo de cão que irá obedecer comandos instantaneamente. Ele tem que pensar sobre e decidir se ele realmente quer fazer o que você pediu.

Nunca deve ser tímido ou agressivo. Este é, no entanto, um cão pequeno com um nível de atividade que vai de moderado ao intenso. Ele é muito inteligente e altamente treinável e é descrito melhor como proativo, não como um cão mimado.

A cabeça bem entalhada do Basenji se afina na altura dos olhos até a trufa. A pele do crânio se dobra de modo mais particular quando o cão, em alerta, levanta as orelhas. Os olhos, escuros e oblíquos, cor de amêndoa, têm impressão longínqua. As orelhas, finas e pontudas, são mantidas retas, apontadas para frente. O pescoço de bom comprimento, dá um porte altivo a cabeça. O corpo é bem proporcional ao peito descido.

Os anteriores são restos e os posteriores, robustos e musculosos. A cauda, implantada alto, forma um ou dois anéis, encaracolando-se de forma apertada sobre a coluna vertebral. Leve, elegante, alerta e bem equilibrado, o Basenji tem andar leve, muito característico, que lembra o trote alongado de um puro sangue.

 

Fonte :

Cinobras